Artigo 7 - Leis Ordinárias (2011) - 12.402, de 2.5.2011 - Vade Mecum On-line

Leis Ordinárias




Leis Ordinárias - 12.402, de 2.5.2011 - Regula o cumprimento de obrigações tributárias por consórcios que realizarem contratações de pessoas jurídicas e físicas; acresce dispositivos à Lei no 10.168, de 29 de dezembro de 2000, que institui contribuição de intervenção de domínio econômico destinada a financiar o Programa de Estímulo à Inte




Artigo 7



Art. 7o  Os arts. 12 e 18 do Decreto-Lei no 1.593, de 21 de dezembro de 1977, passam a vigorar com a seguinte redação: 

Art. 12.  Os cigarros destinados à exportação não poderão ser vendidos nem expostos à venda no País e deverão ser marcados, nas embalagens de cada maço ou carteira de 20 (vinte) unidades, pelos equipamentos de que trata o art. 27 da Lei no 11.488, de 15 de junho de 2007, com códigos que possibilitem identificar sua legítima origem e reprimir a introdução clandestina destes produtos no território nacional.

................................................................................................................................................

§ 5º  A Secretaria da Receita Federal do Brasil poderá, na forma, condições e prazos por ela estabelecidos, dispensar a aplicação do disposto nos §§ 1o e 4o, desde que: 

I – a dispensa seja necessária para atender as exigências do mercado estrangeiro importador; 

II – o importador no exterior seja pessoa jurídica vinculada ao estabelecimento industrial, de acordo com o disposto no art. 23 da Lei no 9.430, de 27 de dezembro de 1996; e 

III – seja comprovada pelo estabelecimento industrial, mediante documentação hábil e idônea, a importação dos cigarros no país de destino. 

§ 6o  As exportações de cigarros autorizadas pela Secretaria da Receita Federal do Brasil na forma do § 5o ficam isentas do Imposto de Exportação.” (NR) 

Art. 18.  ................................................................................................................................................

................................................................................................................................................

§ 3º  Na hipótese de cigarros de que trata o caput, cuja exportação tenha sido autorizada pela Secretaria da Receita Federal do Brasil de acordo com o disposto no § 5o do art. 12, os impostos devidos, bem como a multa de que trata o § 1o do presente artigo, serão exigidos do estabelecimento industrial exportador. 

§ 4o  O disposto no § 3o aplica-se inclusive à hipótese de ausência de comprovação pelo estabelecimento industrial da importação dos cigarros no país de destino, de que trata o inciso III do § 5o do art. 12.” (NR)